domingo, 12 de maio de 2019

Morre ator e comediante Lúcio Mauro, aos 92 anos, no Rio


Morreu neste sábado (11) o ator e comediante Lúcio Mauro, aos 92 anos anos. O filho do humorista, Lúcio Mauro Filho, foi quem divulgou a informação no início deste domingo (12).

O ator estava internado há cerca de dois meses em uma clínica da zona sul do Rio de Janeiro por conta de problemas respiratórios. Em março, o mesmo filho havia publicado uma foto em sua conta no Instagram em que celebrava o aniversário do pai: "Comemoramos a sua existência, e a nossa sorte de carregar seu sangue".
Nascido no dia 14 de março de 1927 em Belém do Pará,  Lúcio de Barros Barbalho foi um dos grandes parceiros de Chico Anysio na TV, participando de diversos humorísticos com o colega. Ele também passou a paixão e o talento para seu filho, que segue carreira prolifica prórpia. 


O velório de Lúcio Mauro será realizado na segunda (13), a partir das 9h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e será aberto ao público.

Fonte: R7 - O Portal de Notícias da Record

Bolsonaro diz que vai indicar Sérgio Moro para vaga no STF


O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (12), que pretende indicar o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro disse que firmou compromisso com o ministro e que vai honrar o que foi acertado, caso Moro queira ocupar a vaga e se for aprovado em sabatina no Senado.

“A primeira vaga que tiver, eu tenho esse compromisso com o Moro e, se Deus quiser, cumpriremos esse compromisso", disse Bolsonaro.

A Corte tem 11 ministros. A indicação dos integrantes é de competência do presidente da República, mas o nome deve passar por sabatina no Senado. A próxima vaga no tribunal deve ser aberta em novembro do ano que vem, quando se aposentará, aos 75 anos, o decano da Corte, ministro Celso de Mello.

“Eu fiz um compromisso com ele porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: a primeira vaga que tiver lá, vai estar a sua disposição", disse Bolsonaro.

"Obviamente ele teria que passar por uma sabatina no Senado. Eu sei que não lhe falta competência para se aprovado lá. Mas uma sabatina técnico-política, tá certo? Então, eu vou honrar esse compromisso com ele, caso ele queira ir para lá. Ele seria um grande aliado não do governo, mas dos interesses do nosso Brasil dentro do STF, declarou o presidente.

Ainda no ano passado, logo após a vitória nas urnas, Bolsonaro afirmou em entrevista ao Jornal Nacional que pensava em convidar Sérgio Moro para assumir vaga no STF.


Reforma da Previdência
O presidente disse acreditar que a “maioria dos parlamentares” vai dar o “devido apoio” para reforma da Previdência que está em tramitação na Câmara dos Deputados.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) que mexe nas regras de aposentadoria já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e agora está em discussão em comissão especial. A reforma é considerada pelo governo federal como uma das principais medidas para recuperar as contas públicas.

"Acredito que a maioria dos parlamentares vão nos dar o devido apoio por ocasião dessa reforma que precisa ser feita. É como uma vacina. Tem que dar vacina no moleque, se não ele pode ter um problema mais grave lá na frente. A grande vacina no momento é a nova Previdência", afirmou o presidente.

O presidente reconheceu que muitas medidas do governo dependem de aprovação da Câmara e do Senado, como a própria reforma da Previdência.

"Eu acho que a gente pode fazer, nós estamos fazendo o possível, muitas medidas tomadas, em grande parte, dependemos da Câmara e do Senado. Eu conheço a sensibilidade deles [dos parlamentares] porque fiquei 28 anos lá dentro [do Congresso]. Muita gente já tem consciência do que tem que ser fazer. Não todos, mas a maioria sabe o que tem ser feito e nós vamos buscar atingir esse objetivo, obviamente com Câmara e Senado ao nosso lado", disse Bolsonaro.

Pacote anticrime
Para Bolsonaro, o pacote anticrime, proposto pelo ministro Sérgio Moro, já deveria ter sido discutido e votado. O projeto que propõe mudanças na legislação penal e processual penal, para reforçar o combate ao crime organizado, à corrupção e à violência foi apresentado ao Congresso em fevereiro.

"No meu entender já deveria ter sido discutido e votado esse tema. Tá demorado a tramitação disso lá", disse o presidente.

A proposta está sob análise de um grupo de trabalho criado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O colegiado tem até 90 dias para dar um parecer.

“Ele é o dono da pauta na Câmara [Rodrigo Maia] e o Davi Alcolumbre no Senado. E essa bola essa bola tá com eles. Eu não posso chegar e fazer essa exigência ao Rodrigo Maia”, declarou Bolsonaro.

Coaf
O presidente comentou, ainda, decisão de comissão do Congresso de transferir o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça para o Ministério da Economia.

A comissão aprovou na última quinta-feira (9) o relatório da medida provisória (MP) da reforma administrativa. Texto pode sofrer novas alterações quando for à votação nos plenários da Câmara e do Senado.

O Coaf é uma unidade de inteligência financeira do governo federal que atua principalmente na prevenção e no combate à lavagem de dinheiro (crime que consiste na prática de disfarçar dinheiro de origem ilícita).

Bolsonaro sugeriu que caso a mudança não seja revertida em votação no plenário não haverá prejuízo ao trabalho do conselho.

"Vamos supor que vá lá pro Paulo Guedes, ministro da Economia, vai ter uma linha direta com o ministério da Justiça. Nossos ministros conversam entre si. [...] O Moro precisando de informações vai ter essas informações. O moro com toda certeza, como ele conversa e se dá bem com o Paulo Guedes, vai ter gente indicada por ele dentro do Coaf", afirmou Bolsonaro.

O presidente defendeu, no entanto, que o Coaf tenha "limitações" e não pode "vazar" informações "ao arrepio da lei".

"O Coaf é importante. Agora, o Coaf tem que ter suas limitações. Não pode vazar. Não pode vazar como fez no ano passado. Vazou muita coisa ao arrepio da lei. A gente pode não gostar da lei no tocante a isso, mas se infringi-la, alguém tem que pagar o pato no tocante a isso ai", declarou. "O coaf é um órgão de assessoramento; não é de investigação", disse.

Fonte: G1 - Portal de Notícias da Globo

É campeão! Brasil vence EUA por dois centésimos e leva o título mundial do revezamento 4x100m


O estádio de Yokohama, no Japão, tem uma ligação muito forte com o Brasil. Ali, em 2002, o país conquistou o pentacampeonato de futebol, comandados por Ronaldo e Rivaldo. Neste domingo, no mesmo local, o revezamento 4x100m do Brasil conquistou o título do Campeonato Mundial de revezamentos, ao terminar a prova com 38s05, apenas dois centésimos na frente do quarteto americano. Os britânicos anotaram 38s15 e ficaram na terceira posição.

Além do título, Rodrigo Nascimento, Derick Silva, Jorge Vides e Paulo André fizeram a melhor marca do ano no mundo na temporada. Importante lembrar que, no revezamento americano estava presente o atual campeão mundial dos 100m rasos, Justin Gatlin.

- A gente conseguiu ser campeão mundial e ninguém tira isso da gente - disse Paulo André, atleta mais rápido do Brasil na atualidade e que fechou o revezamento neste domingo.

- Foi uma prova boa, acertamos os detalhes que faltavam, e agora é focar em correr a prova individual mais baixo, para conseguirmos melhorar ainda mais nos revezamentos - disse Rodrigo.

O resultado é histórico para o quarteto brasileiro, que tem uma ótima tradição. O time foi prata na Olimpíada de Sydney 2000, bronze nos Jogos de Atlanta 1996 e de Pequim 2008. Ainda foi ao pódio em Campeonatos Mundiais em algumas oportunidades, mas, pela primeira vez, conquistou uma competição desta magnitude. É o terceiro melhor tempo da história do país na prova, pior apenas que o que rendeu a prata em Sydney 2000 (37s90) e que a quarta posição do Mundial de 2007 (37s99).

Outras provas
As americanas venceram o revezamento 4x100m com o tempo de 43s27, apenas dois centésimos na frente da Jamaica. A Alemanha anotou 43s68 para ser terceira colocada. As brasileiras Ana Carolina Azevedo, Lorraine Martins, Franciela Krasucki e Vitória Rosa fizeram 43s75 e fecharam em quarto lugar. Vitória Rosa pegou o bastão de Franciela em quinto lugar e quase conseguiu ganhar a posição das alemãs nos últimos metros.

- A gente fica triste porque o quarto lugar dói, mas tivemos problemas com as passagens. É uma equipe nova, mas temos muito o que evoluir. Estamos muito satisfeitas, a sensação é de missão cumprida, mas também de quero mais - disse Franciela.

Na prova mista do 4x400m, que vai entrar no programa olímpico pela primeira vez em Tóquio 2020, o Brasil fechou na sexta posição com a marca de 3m20s71. O título ficou com os americanos, seguido pelos canadenses e quenianos. Lucas Carvalho começou bem pelo o Brasil, passando em quinto lugar, e, na sequência, Tiffani Marinho colocou o país em terceiro. Cristiane Silva foi a terceira a entrar em ação, mas perdeu um pouco de rendimento, entregando em sexto lugar para Alexander Russo, que conseguiu recuperar um pouco e deixou o país em quinto.

- Nossa expectativa era outra, mas acontece, mas estamos muito felizes por estar aqui. Não temos o que reclamar não - disse Tiffani.

No 4x400m, duas surpresas. Entre as mulheres, o quarteto polonês conquistou a medalha de ouro, deixando os Estados Unidos em segundo lugar. No masculino, Trinidad & Tobago levou o título, deixando os americanos para trás. Minutos depois da chegada, a organização confirmou a desclassificação dos Estados Unidos.

Fonte: G1 - Portal de Notícias da Globo

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Dono do sítio de Atibaia, que o juiz Moro dizia ser de Lula, pede à justiça para vender imóvel


247 – O dono do sítio de Atibaia, Fernando Bittar, apresentou pedido nesta segunda-feira (22), ao juiz Luiz Bonnat, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, para vender a propriedade. O ex-presidente Lula foi condenado em fevereiro pela Justiça Federal a 12 anos e 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro no processo da Lava Jato que dizia que ele era o dono do sítio.

O pedido reforça os argumentos apresentados pela defesa do ex-presidente de que Lula não é dono do sítio, como argumentou os procuradores da Lava Jato. O então juiz Sérgio Moro chegou a dizer se Lula é ou não proprietário “não importa”.

A condenação de Lula foi feita pela juíza Gabriela Hardt, substituta de Moro, numa sentença que foi desmoralizada por ser um literal copia e cola das acusações do caso “triplex do Guarujá”, com trechos inteiros da sentença de Moro, incluindo as inconsistências.

Lula nunca negou frequentar o sítio dos amigos, que o convidaram para fazer isso, no que tinham pleno direito como donos do sítio, de convidar quem eles quisessem.

A acusação era de que Lula foi beneficiado por supostas obras feitas pela Odebrecht no imóvel, configurando lavagem de dinheiro. No entanto, se o imóvel é de Fernando Bittar, o ex-presidente não é beneficiário das reformas, mesmo que tenha frequentado o local.

Os advogados de Bittar informam que “não mais frequenta o sítio, tendo interesse em sua venda imediata”. E pede que “seja determinada a avaliação judicial” do sítio e sua posterior venda.

“A realização da venda nesses termos (com o depósito em Juízo do valor) cumpre, com muito mais efetividade, o propósito de confiscar os supostos produtos dos delitos, correspondentes aos valores gastos nas reformas”, afirma o advogado Alberto Toron.